[Cobertura] Curtimos demais o show do HammerFall em São Paulo

Hey Ya!

Hoje falaremos sobre o show da banda sueca HammerFall, na casa de shows Carioca Club.

hammerfall01

Minha relação com eles começou no final dos anos 90, quando adquiri uma fita VHS do festival Dynamo Open Air 1998. Nesta fita, tinha algumas músicas de algumas bandas que tocaram na edição como Helloween, Blind Guardian, Death, Fates Warning, Kreator, Dimmu Borgir, Primal Fear, entre outras.

E a VHS iniciava com o HammerFall, tocando a música que leva o nome da banda. Nestes anos, a banda veio várias vezes ao Brasil, teve seus altos e baixos, mas nunca tinha visto um show deles, tanto que eles nunca foram uma das minhas prioridades, mas sempre conhecia seus álbuns e músicas.

Até porque suas músicas são as típicas que grudam de imediato, tanto que nos anos 90, o diferencial deles no power metal era isso, sendo apontados como o Judas Priest ou Accept da nova geração, lembrando que isso já faz 20 anos, e as bandas apontadas continuam na ativa.

Mas vamos ao show que iniciou pontualmente às 20hs, e o que tivemos foi um dos melhores shows que já presenciei. Uma banda poderosa, com um som forte e preciso, iniciando com a ótima Hector’s Hymn, com uma sequência de clássicos da banda como Riders of the Storm, a nova Bring It!, Blood Bound, seguida da minha música favorita da banda Any Means Necessary.

hammerfall02

Na sequência, o som de uma moto no PA indica Renegade, a nova Dethrone and Defy, a clássica Crimson Thunder, outra das minhas favoritas Last Man Standing, um retorno no tempo com Let the Hammer Fall, a nova Built to Last, e o momento da homenagem de 20 anos ao primeiro álbum da banda, com um medley, nomeado de Medley to the Brave, seguida da balada Glory to the Brave.

A banda segue com Origins e Punish and Eslave. Era o momento do bis, e a banda volta com a nova Hammer High, Bushido e fechando o show com seu maior sucesso, Hearts on Fire. O show que durou 1h45, mostrou o que um show de power metal deve ter: uma banda precisa, um público eufórico, músicas marcantes, um som forte, fazendo um dos melhores shows do ano.

Encerrando assim, meu ano de shows em grande em estilo, sendo que decidi em pouco tempo em ir neste show, e caso não tivesse ido, estaria me arrependendo. Sinceramente, o show foi muito melhor do que esperava, me surpreendeu muito.

hammerfall04

About the Author

Rodrigo

Deixe uma resposta