[Review] Labyrinth e seu excelente Architecture of a God

Hey ya!

Hoje falaremos sobre o novo álbum da banda italiana Labyrinth.

Labirint

A espera pelo oitavo álbum da banda foi longa, já que o último lançado foi o Return to Heaven Denied II, no ano de 2010. O novo marca a volta do vocalista Roberto Tiranti – que chegou a sair da banda em 2014 – mas em 2016 retornou ao seu posto. Também é a estreia do tecladista Oleg Smirnoff (Vision Divine), do baixista Nik Mazzucconi e do baterista John Macaluso (ex-Ark).

Assisti a esse baterista no ano de 2013, quando ele se apresentou com o Symphony X, substituindo temporariamente Jason Rullo, que estava com problemas de saúde. A banda é completada ainda pela dupla de guitarristas, Olaf Thorsen (Vision Divine), um dos labyrinth02fundadores, saiu e retornou no ano de 2009, e também do guitarrista Andrea Cantarelli, único integrante desde o início.

Architecture of a God mostra toda a classe da banda, em seu power/prog metal, com excelentes melodias e linhas vocais marcantes, do jeito que somente as bandas italianas sabem fazer. O álbum começa com a pesada Bullets. Destaco as músicas Still Alive, a ótima A New Dream, a faixa-título, Those Days, We Belong to Yesterday e a já clássica Someone Says.

Muitas músicas parecem ter saído das épocas que a banda estava entre as grandes bandas mundiais, com os álbuns Return to Heaven Denied (de 1998) até o álbum Freeman (2005). O destaque na minha opinião vai para o vocalista Roberto Tiranti, que brilha mais uma vez.

Ao lado de Michele Luppi (Secret Sphere) e Fabio Lione (Angra), mostram ao mundo o poder das linhas vocais italiana. A banda gravou recentemente o seu primeiro DVD oficial, onde executaram o álbum Return to Heaven Denied na íntegra. Espero que a banda retorne ao Brasil, já que vieram somente uma vez em 2000, em uma turnê ao lado do Vision Divine.

About the Author

Rodrigo

Deixe uma resposta