[Review] Masterplan lança Pumpkings para o verdadeiro fã do power metal

Hey Ya!

Hoje falaremos sobre o novo álbum da banda Masterplan, o ótimo Pumpkings.

pumpkings

Com certeza, o ano de 2017 é do Helloween, que nos mês de outubro fez sua turnê de reunião/união com o vocalista Michael Kiske e o guitarrista Kai Hansen, e todas as atenções estão voltada para isso.

Algo que chamou minha atenção, foi que o guitarrista Roland Grapow não foi convidado para essa turnê, devido a problemas ainda não resolvidos com Helloween, mesmo ele tendo saído da banda no ano de 2001.

pumpkings2Mas como a banda está em alta, o Masterplan também aproveitou esses holofotes e lançou um álbum inteiro de versões de músicas da banda, somente da época que o guitarrista Roland Grapow fazia parte do Helloween, entre os anos de 1990 a 2001, passando por altos e baixos.

Com a banda, ele gravou os álbuns de estúdio Pink Bubbles Go Ape (1991), Chameleon (1993), Master of the Rings (1994), The Time of the Oath (1996), Better than Raw (1998) e The Dark Ride (2000), além de diversos EPs, singles, DVDs, álbum de covers, coletâneas e discos ao vivo.

O álbum inicia com The Chance, música que o Masterplan toca deste o início da carreira, seguida de Someone’s Crying e Mankind, que na versão original temos um dos melhores vocais já gravado por Kiske.

O polêmico álbum Chameleon é lembrado com as músicas Step Out Of Hell e Music – sinceramente acho que esse álbum é muito injustiçado perante os fãs do Helloween. Temos ainda Mr.Ego, Still We Go e Take Me Home, The Time of the Oath, The Dark Ride e Escalation 666.

Esse álbum é para fãs do Helloween, do Masterplan e do power metal em geral. Ele já está em versão nacional limitada e vale muito a pena ser adquirido, mas o ponto negativo sobre esse lançamento, foi que não teve nenhuma música do album Better than Raw, para mim, um dos melhores do Helloween.

About the Author

Rodrigo

Deixe uma resposta